A Associação toma nota da anulação pelo Conselho de Estado da Declaração de Utilidade Pública (DUP) da LGV Poitiers Limoges, mas lamenta que este projeto não tenha sido considerado apenas como fim em si, como se pode ler no comunicado relativo ao acórdão proferido. A Associação reitera para o futuro, a necessidade de uma melhor consideração da dimensão "Este-Oeste" do projeto da LGV Limoges Poitiers.
Comunicado do Conselho de Estado sobre a LGV Poitiers-Limoges

A Associação que apoia desde a sua origem o projeto da LGV Limoges Poitiers sempre defendeu o princípio de que este não deveria ser um ponto de chegada final, mas que seria necessário inscrevê-lo num esquema global de planeamento do território. Trata-se de melhorar o seu interesse em termos de planeamento do território e de facilitar o seu financiamento. Deve, mais do que nunca, inscrever-se num âmbito que inclua a modernização da rede existente e a construção de novas infraestruturas, a fim de assegurar o desenvolvimento e redução do isolamento do Maciço Central da fachada atlântica.

Além de permitir que numerosos departamentos ganhem uma hora sobre o trajeto ferroviário pelo oeste, a LGV Poitiers Limoges deve ser o primeiro elo desta linha europeia Este-Oeste, Via Atlântica, de que a França necessita para uma rede ferroviária equilibrada do seu território nacional. Trata-se de construir novas interligações entre regiões e no interior das regiões com territórios doravante redesenhados.

A Associação entende que deve manter a sua ação em favor deste projeto de grande transversal europeia Este-Oeste da Itália ao conjunto da fachada atlântica, de Caen a Lisboa, assentando na realização da LGV Limoges Poitiers e na reativação do eixo ferroviário Bordeaux-Limoges-Guéret-Lyon.